Instagram é fonte de lucro para CEOs e grandes empresários

Donos de companhias bilionárias compartilham lifestyle e empreendedorismo no Instagram transformando seguidores em compradores fiéis

João Adibe Marques, dono da farmacêutica Cimed, faz lives todos os dias pela manhã. Assim como o relacionamento com seus 5.000 funcionários e o empenho para conquistar quase 2 bilhões de reais faturados em 2019, o empresário inseriu o Instagram também nessa rotina. Em um formato de reality show profissional, ele transmite para seus 150.000 seguidores visitas técnicas a fábricas, reuniões de trabalho e viagens de negócios a bordo de uma de suas aeronaves, mesclando seu lifestyle a dicas de estratégias de vendas, metas e planos futuros. A maior oportunidade identificada por jovens CEOs brasileiros foi o reconhecimento de um público carente sobre o lições de empreendedorismo e com interesse em movimentar a economia .

O exemplo de João Adibe vai na contramão dos homens de negócios mais tradicionais, como Jorge Paulo Lemann, que, apesar de bilionário brasileiro número #1 no ranking da Forbes, não ostenta um perfil no Instagram. Porém um grande movimento de novos empreendedores e grandes executivos mais jovens segue no mesmo fluxo do dono da Cimed. Seu principal objetivo em comum é transmitir suas experiências, profissionalmente e pessoalmente. É o que compartilha Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi, que inclui também uma linha motivacional e de autoajuda em suas editorias de conteúdo. Posicionando-se como um mentor inspiracional para seus 151.000 seguidores, o empresário mantém suas postagens no feed e Stories com frequência diária.

CEO da Arezzo&Co, Alexandre Birman criou sua conta no Instagram há pouco menos de um mês e já acumula mais de 23.000 seguidores. Com uma empresa avaliada em 5 milhões de reais e operação global, ele busca inspirar seu público através de aprendizados e realizações pessoais. Reuniões, eventos, dicas, tudo o que o executivo puder compartilhar, fica postado em seu perfil para engajar seguidores e atrair novos usuários. Com uma projeção ainda maior, a CEO da Lacoste no Brasil, Rachel Maia, impacta 52.000 seguidores em seu perfil e representa 0,04% do universo de CEOs por ser mulher e negra.

Rachel sabe bem como oferecer sua rotina nos momentos estratégicos para conquistar cada vez mais engajamento de sua audiência na rede. Não é somente o trabalho que gera alta proximidade, mas sendo mesclado na medida certa com o cotidiano se cria a fórmula do lifestyle que os usuários aspiram. Ela expõe partes da vida particular, o que funciona como fator de prova do sucesso, assim além de novas coleções e itens exclusivos da marca, você verá também partidas de tênis e selfies com celebridades.

Hoje o Instagram é utilizado como mais que uma rede social, mas um canal de comunicação e vendas. É o novo “pergunte ao presidente”, com uma cara mais moderna e com grandes empresários que podem responder direct messages seja de uma reunião sobre estratégias para a Black Friday dentro do escritório ou fazendo wakeboard nas Maldivas. Para o usuário, uma forma de obter informação sobre quem chegou onde ele almeja chegar. E, para os grandes executivos, um meio exploratório de se conectar com seu público e compreender suas motivações (bem como moldá-las). Nas palavras de João Adibe, “virei um garoto­-propaganda da marca, e, não raro, os seguidores viram clientes”. Um usuário que se torna comprador e uma audiência que se converte em clientela fiel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *